20 de novembro de 2012

Tumblr_mc5jwtj9af1qgsug7o1_1280_large

Estavam os dois sentados no muro que suportava as grades infernais da escola. Manuseavam ambos os seus cigarros de uma maneira peculiar e diferente, faziam-se mudos e indiferentes. Fumavam, só.
O frio fazia questão em chamar a atenção toda a gente, eles, orgulhosos, forçavam as mangas dos casacos o mais que podiam e escondiam os pescoços nas golas curtas. Jurava ter-lhes lido o pensamento, queriam-se aquecer mutuamente, mas eram orgulhosos. 
Vi ela a olhar sorrateiramente para ele e ele não queria saber, ele não olhava. Procurava outro rosto, outros sorrisos, outros olhares. Ela consentia, ela tentava encontrar outro alguém que fumasse em companhia, porque o corpo dele estava lá mas a alma não. Estava escondida, oculta em algum lugar sombrio onde já nada conseguia suportar, só as músicas dos Nirvana que não fazia nada o género dele. 
Já passaram dias e ela deixou de aparecer para fumar no lugar de sempre. Na verdade, ela nunca gostou de fumar, ela nunca foi viciada, ela só gostava de companhia, a companhia que se ausentou para sempre, de vez. E para sempre, é mesmo muito tempo. 

1 comentário:

Pandora disse...

a-d-o-r-o, óh meu deus!